Logo Sonae Indústria
EN
procurar
LinkedIn

História

1959

A SONAE foi fundada em 1959 na Maia, onde tem a sua sede, com o objectivo de produzir termolaminados decorativos.

A sua denominação actual surgiu a partir das iniciais da designação social da empresa: SONAE - SOCIEDADE NACIONAL DE ESTRATIFICADOS, SARL , e o produto com que consolidou a sua presença no mercado, o LAMINITE, ainda hoje é a marca do laminado decorativo da SONAE.


1971

O processo de diversificação da SONAE inicia-se em 1971, ao assumir o controlo da Novopan, uma fábrica de aglomerado de madeira situada em Rebordosa, Paredes, perto do Porto. Instala também a primeira linha de revestimento melamínico em Portugal e inicia-se na produção de componentes para mobiliário e decoração.

1975

Em 1975 a SONAE inicia a actividade no sector da química industrial, através da produção de resinas melamínicas e fenólicas.

1979

A década de 80 é o período de forte expansão da actividade industrial, com investimentos importantes que, em 1979, se traduziram no aumento da capacidade instalada de componentes e de revestimento de aglomerado.

1982

Em 1982 arrancam as unidades de formaldeído e de resinas ureicas.

1984

O objectivo de liderança no sector de aglomerado de madeira em Portugal inicia-se em 1984 com a aquisição da Agloma - então a maior unidade produtora do país - cuja modernização inicia de imediato.

1987

Em 1986, a SONAE reorganiza-se agrupando o universo das suas empresas em Áreas Estratégicas de Negócios, surgindo entre outras a Área Indústria. Em 1987 a SONAE adquire a SIAF e Paivoplan em Portugal.


1989

Em finais de 1988 é constituída a holding do Grupo - a SONAE INVESTIMENTOS, SGPS - e ocorrem substanciais alterações na organização. O património industrial da unidade da Maia foi integrado na SONAE INDÚSTRIA DE REVESTIMENTOS, SA e nasce a SONAE PRODUTOS E DERIVADOS FLORESTAIS, SA, que passou a ser a empresa responsável pela gestão da Área Indústria. Entre 1987 e 1989, a SONAE consolida a posição de líder no sector de aglomerado de madeira, em Portugal, adquirindo sucessivamente a Siaf e a Paivopan, e inicia a internacionalização dos seus negócios, adquirindo a Spanboard, na Irlanda do Norte.

1990

Por outro lado, inicia na Siaf um importante investimento de raiz: uma unidade de MDF localizada em Mangualde, que arranca em 1990. Em 1990 a SONAE era já o maior Grupo não financeiro de capitais maioritariamente portugueses e, no ano seguinte, dá-se outra importante reorganização, tendo em vista uma maior focalização nos negócios que, para tal, foram integrados em distintas sub-holdings. Surge, então, a SONAE INDÚSTRIA, SGPS.

1993

Em 1993 inicia-se uma importante fase de expansão e internacionalização dos negócios da SONAE INDÚSTRIA, que a transforma em líder do sector de painéis de madeira na Península Ibérica e num dos cinco maiores produtores europeus, através da aquisição de uma posição de controlo num dos dois maiores grupos espanhóis do sector - a TAFISA.


1994

Já em 1994, e na sequência da aquisição da TAFISA, a SONAE INDÚSTRIA expande as suas actividades para o Canadá com o arranque de uma fábrica de aglomerados de madeira. Paralelamente, a SONAE INDÚSTRIA expande a sua actividade comercial para o Brasil e África Austral.


1995

Em 1995 a SONAE INDÚSTRIA entra em funcionamento uma segunda linha de produção de MDF na Siafc omo resultado de um investimento no ano anterior.


1996

Em 1996, antecipando os novos desafios da expansão internacional dos seus diferentes negócios e face à necessidade de focar os recursos de gestão no seu desenvolvimento, foi decidido que os negócios da SONAE INDÚSTRIA - já presentes em Espanha, Reino Unido, Canadá, Brasil e África Austral - se separassem da SONAE INVESTIMENTOS SGPS. Para tal foi constituída uma nova holding - a INPARSA - que agrupou entre outros, os negócios no sector dos derivados de madeira. A SONAE INDÚSTRIA passou, assim, a ser detida maioritariamente por aquela sociedade gestora de participações sociais.


1998

Em 1998 prossegue a expansão da capacidade de produção de MDF, com o arranque da linha de MDF fino de Valladolid, em Espanha. Durante 1998, a Sonae Indústria expandiu a sua base industrial para outro continente: África Austral. Começou a ser instalada uma unidade de fabrico de aglomerado na África do Sul, tendo o start-up produtivo ocorrido em Dezembro de 1999. Paralelamente, reforçou fortemente a sua presença no Reino Unido com uma nova fábrica de aglomerado de madeira, cujo arranque se deu em meados de 2000. O excelente desempenho da SONAE INDÚSTRIA no Canadá tornou imperativo um aumento da capacidade produtiva da unidade fabril situada em Lac-Mégantic, cujo start-up ocorreu em Junho de 2000. Ainda em 1998, a SONAE INDÚSTRIA assume-se como líder mundial no fabrico de aglomerados de madeira: com a aquisição de cerca de 85% do capital da empresa alemã Glunz AG, através da sua participada TAFISA, a SONAE INDÚSTRIA tornou-se na maior empresa do mundo do sector dos derivados de madeira. Com a aquisição da Glunz AG, a SONAE INDÚSTRIA expande a sua base industrial para a Alemanha e França, neste último caso através da ISOROY, empresa até então detida pela Glunz AG. A aquisição da Glunz AG permitiu um alargamento da gama de produtos até então existentes, passando a SONAE INDÚSTRIA a dispôr, na sua gama de produtos, de novos conceitos como OSB (Oriented Strand Board), Softboard e contraplacado.

1999

Já em 1999, a SONAE INDÚSTRIA desmultiplicou-se em novos projectos: uma nova fábrica de resinas em Sines, uma serração em Cuellar (Espanha), uma segunda linha de produção de MDF no Brasil. A nova unidade de químicos em Sines permite abastecer de resinas todas as unidades fabris da SONAE INDÚSTRIA na Península Ibérica. No primeiro semestre de 1999, a fusão entre a INPARSA, a FIGEST e a SONAE INVESTIMENTOS SGPS, deu origem à SONAE SGPS - Sociedade Gestora de Participações Sociais, SA. A SONAE INDÚSTRIA passou a ser maioritariamente detida pela SONAE SGPS, SA. Dos negócios de base florestal, concentrados na sub-holding Sonae Produtos e Derivados Florestais, a SONAE INDÚSTRIA, para além do desenvolvimento das unidades de serração já mencionadas, adquiriu a IFLOMA, em Moçambique, e venceu o concurso público de privatização de 65% do capital da Gescartão, numa joint-venture com a empresa espanhola Europac. Esta aquisição permite à SONAE INDÚSTRIA proceder a uma integração vertical da sua actividade industrial, alargando a sua base de negócios para o sector da pasta para papel e papel.

2000

Em Agosto de 2000 a SONAE Indústria reforça a sua presença na África do Sul, através da aquisição da Sappi Novobord. A aquisição tem um impacto importante em vários aspectos do posicionamento da SONAE em relação aos seus interesses neste país. Através do aumento da sua capacidade de produção, a empresa criou a oportunidade de se tornar o maior fornecedor de aglomerado na África do Sul, mas também aumentou a diversidade da oferta dos seus produtos.

2001

Durante o ano 2001 assistimos a grandes alterações nomeadamente em França e Alemanha. Em Agosto arranca a nova linha de MDF em Le Creusot, bem como uma linha de aglomerado em Lure - França. Na Alemanha, em Setembro, dá-se o arranque da nova fábrica, em Nettgau, primeiramente com aglomerado de partículas e mais tarde com OSB. Ainda em Setembro de 2001 diversos activos florestais, incluindo a sub-holding SONAE - Produtos e Derivados Florestais SGPS, SA, foram transferidos para a gestão directa da SONAE SGPS, SA, à semelhança do anteriormente ocorrido com as participações na Portucel e Soporcel, por forma a facilitar uma gestão estratégica integrada dos activos mais directamente relacionados com a Fileira Florestal.

2005

Em Setembro de 2005, teve início a operação de cisão-fusão e fusão da SONAE – SGPS, S.A. por destaque de parte da participação detida por esta sociedade na SONAE INDÚSTRIA – SGPS, S.A. (adiante SI) e a sua incorporação na sociedade SONAE 3P – Panels, Pulp and Paper, SGPS, S.A., a qual, através de uma simultânea operação de fusão, incorporou a totalidade do capital social da sociedade SI. Esta operação conduziu à extinção da SI e à alteração da denominação social da SONAE 3P – Panels, Pulp and Paper, SGPS, S.A. para SONAE INDÚSTRIA, SGPS, S.A., com efeitos a partir do dia 20 de Dezembro de 2005.


Join Venture com Tarkett AG para a produção e comercialização de flooring.

2006

Aquisição da Hornitex (Alemanha) e Darbo (França).

2007

Nova linha de produção de aglomerado de partículas na África do Sul.

Nova linha de produção de melamina no Canadá. Oferta Pública de Aquisição sobre as participações minoritárias na Tafisa e consequente retirada de cotação da Bolsa de Madrid.

É publicado o primeiro Relatório de Sustentabilidade

2009

Venda da Tafisa Brasil, SA à Placas do Paraná, SA.

2010

Venda da fábrica de Lure (França)

2011

Lançamento da marca Innovus - a nova coleção de décors da Sonae Indústria


2012

Encerramento das operações em Knowsley (Reino Unido) e Solsona (Espanha)

2014

Venda de Auxerre e de Le Creusot, em França. Encerramento de Pontecaldelas, em Espanha. Descontinuação das operações de aglomerado de partículas, em Horn, Alemanha.


2015

Venda das unidades de Ussel e Linxe (França) e Betanzos (Espanha). Lançamento da nova coleção Innovus 2.0. Anúncio de eventual parceria estratégica com a Arauco.

2016

Sonae Indústria conclui parceria estratégica com Inversiones Arauco Internacional.
Esta parceria engloba as operações de painéis derivados de madeira e atividades relacionadas que a Sonae Indústria atualmente detém na Europa e África do Sul, nomeadamente todas as suas unidades de produção de painéis derivados de madeira, químicos e papel impregnado, mas não abrange as operações da Sonae Indústria localizadas na América do Norte (Tafisa Canadá), bem como os negócios de laminados e de componentes, que continuam a ser detidos na totalidade pela Sonae Indústria.